<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d9212881\x26blogName\x3dCINDERELLA\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://liscinderella.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://liscinderella.blogspot.com/\x26vt\x3d316193502446059466', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

CINDERELLA

Ainda pior que a convicção de um não, é a incerteza dum talvez, e a desilusão dum QUASE. Quem quase ganhou, ainda joga, quem quase estudou, ainda estuda, quem quase amou, não ama. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata, trazendo tudo que poderia ter sido, mas não foi...

fevereiro 12, 2007

Hoje venho aqui escrever para informar que este blog acabou. E acabou por uma razão muito triste. Porque a sua autora já não está mais entre nós.
Fica a recordação...
E para terminar o Blog deixo o seu último texto:



A vida são deveres que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê já são seis horas! Quando se vê, já é sexta-feira... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê, passaram-se 50 anos! Agora, é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dada, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente iria jogando, pelo caminho, a casca dourada inútil das horas...
Dessa forma eu digo, não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará...